sábado, 11 de junho de 2016

A garota do calendário - Janeiro - Calendar girl-January - Audrey Carlan


A garota do calendário: janeiro
Editora: Verus
Autor: Audrey Carlan
Ano: 2016
Edição: 1
Número de páginas: 144
Compre aqui:

Normalmente, não daria muita atenção para esse livro...
É uma série longa e a editora dividiu em 12 livros de poucas páginas, isso me dá uma certa preguiça e resistência.
Me submeti aos caprichos de 'Crossfire' que levou anos para acabar, de 'House of Nigth' que acabei abandonando (até porque é bem ruim) e ainda sou aficionada por 'Irmandade da Adaga Negra'.
Séries longas demandam tempo, ansiedade, quando não são canceladas antes de terminar, como Richelle Mead em 'Filha da tempestade'.
No entanto, uma grande amiga, empolgada com a história, pediu para a editora me enviar a 'prova' do livro que será lançado no decorrer desse mês.
Estava finalizando meu projeto de qualificação do mestrado e não pude ler imediatamente, mas lia poucas páginas nos intervalos da vida...
O livro é muito curtinho, conta com apenas 144 páginas, e é muito gostoso de ler, resumindo: li no mesmo dia (mesmo não podendo).
Só tive tempo de vim contar pra vocês hoje!
Espero que gostem...
Mia é quele caso que a vida não quis oferecer trégua no percurso.
Quando criança foi abandonada, junto com a irmã mais nova, pela mãe aos cuidados do pai. O pai, em sofrimento, fez o que pode na criação das meninas, mas compensou sua dor com bebida e jogos em Vegas.
Acabou super endividado, espancado, em coma no hospital.
Mia que nunca teve sorte nas escolhas amorosas, assiste aos riscos que seu pai sofre estarrecida, mais que isso, o autor da chantagem/espancamento é um ex-boy da moça e já disse que 'ou pagam a dívida, ou o velho morre e depois ainda vai atrás da família do endividado'.
Não tendo muita saída, Mia se rende a agência de acompanhantes de luxo da tia, irmã da mãe.
Medo, ansiedade e apreensão, mas a certeza que conseguirá pagar a dívida contraída pelo pai e salvar o que resta da família motivam a moça.
O trabalho consiste em acompanhar altos executivos nas suas demandas, o salário é bom (mais que bom) e ela não é prostituta propriamente dito.
O sexo pode acontecer e se acontecer tem um acréscimo de de 20% na gorjeta, mas não é a finalidade do trabalho.
Seu primeiro compromisso é acompanhar Wes, roteirista cobiçado e gato, em seus compromissos.
Wes é talentoso, bonito, sarado, surfista, mas seu trabalho atraí mulheres interesseiras que acabam atrapalhando seus contatos nos eventos.
O objetivo de contratar uma acompanhante é afastar as moças enquanto ele trabalha e tornar tudo mais agradável.
Confesso que eu, Denise, queria me jogar em cima de Wes já na primeira cena, imagina se a mocinha não faria o mesmo?
Com todas as ressalvas de envolvimento emocional, os dois se jogam em uma intensa relação.
Não pude deixar de pensar em dois fatores:
1) Precisou o destino jogar um moço descente na vida de Mia senão ela não sairia do que Freud chama de compulsão a repetição, estaria ainda fazendo escolhas desastrosas no campo amoroso.
2) Wes é o legitimo 'salvador' e busca até a última linha salvar a mocinha do destino de pecado, Freud explica também.
*Nossa! Hoje estou bem freudiana*
O livro é viciante e a continuação Fevereiro é o próximo trabalho de Mia, ESTOU LOUCA PARA LER!!!!
Espero que vocês tenham o mesmo prazer que eu com essa leitura.

Um comentário:

♥♪Jan Araújo♪♥ disse...

Fiquei empolgada quando ouvi falar da série, mas deu uma desanimada quando soube que eram livros tão pequenos e uma série tão longa, espero que a história seja boa pra compensar, Mia vai ter um romance diferente em cada livro? Pensei que era um romance com diferentes situações em cada livro, estou curiosa para ler a série

Postar um comentário

Comentários preconceituosos e desrespeitosos serão ignorados. Manifeste sua opinião com educação. =)