terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Retrospectiva 2013!!! Chegou 2014!!!

Esse ano foi tão intensamente bom que nem sei por onde começar!
Iniciei minha segunda formação superior em Ciências Sociais (e estou amando).
Passei em 99% dos concursos que fiz, fiquei bem colocada em dois (já fui nomeada).
Passei a trabalhar 10 horas por dia, me dividir entre três empregos e a estudar à noite.
Fiz excelentes amizades.
Fui a Bienal do Rio.
Revi pessoas que amo de paixão, conheci pessoalmente Gutalinda que é the best!
Aceitei várias contas.
Mas o principal foi a chegada de um novo membro a minha família de já várias mulheres: Júlia nasceu!
E como é possível a gente amar tanto alguém que conhecemos há tão pouco tempo??
Com tanta intensidade, minha produtividade literária foi dividida entre Platão, Hannah Arendt, Aristóteles, Weber, Durkheim e meus livros deliciosos de literatura pop.
Cheguei a marca de 59 livros lidos e agora lanço os meus prediletos e menos apreciados para vocês!

Os 10 mais!! 
Li esse livro rapidamente e quando acabou fiquei meio sem vontade de ler mais nada. 

O livro é viciante e não vejo a hora de ler a continuação.
Sem medo de errar é um dos melhores do ano!!

Blaire Wynn não teve uma adolescência normal. Ela passou os últimos três anos cuidando da mãe doente. Após a sua morte, Blaire foi obrigada a vender a casa da família no Alabama para arcar com as despesas médicas. Agora, aos 19 anos, está sozinha e sem lugar para ficar. Então não tem outra escolha senão pedir ajuda ao pai que as abandonara. Ao chegar a Rosemary, na Flórida, ela se depara com uma mansão à beira-mar e um mundo de luxo completamente diferente do seu. Para piorar, o pai viajou com a nova esposa para Paris, deixando Blaire ali sozinha com o filho dela, que não parece nada satisfeito com a chegada da irmã postiça. Rush Finlay é filho da madrasta de Blaire com um famoso astro do rock. Ele tem 24 anos, é lindo, rico, charmoso e parece ter o mundo inteiro a seus pés. Extremamente sexy, orgulha-se de levar várias garotas para a cama e dispensá-las no dia seguinte. Blaire sabe que deve ficar longe dele, mas não consegue evitar a atração que sente, ainda mais quando ele começa a dar sinais de que sente a mesma coisa. Convivendo sob o mesmo teto, eles acabam se entregando a uma paixão proibida, sobre a qual não têm nenhum controle. Mas Rush guarda um segredo que Blaire não deve descobrir e que pode mudar para sempre as suas vidas.

Lívia ( do Leiturinhas) insistiu tanto para eu ler esse livro que fiquei com medo de não corresponder as expectativas dela dessa leitura.

No entanto, meu medo era infundado, o livro é dramaticamente intenso.
Uma história fofa, mas com dramas sérios demais.
Imperdível!


Quando Jacqueline segue o namorado de longa data para a faculdade que ele escolheu, a última coisa que ela espera é levar um fora no segundo ano. Depois de duas semanas em estado de choque, ela acorda para sua nova realidade: ela está solteira, frequentando uma universidade que nunca quis, ignorada por seu antigo círculo de amigos e, pela primeira vez na vida, quase repetindo em uma matéria. Ao sair de uma festa sozinha, Jacqueline é atacada por um colega de seu ex. Salva por um cara lindo e misterioso que parece estar no lugar certo na hora certa, ela só quer esquecer aquela noite — mas Lucas, o cara que a ajudou, agora parece estar em todos os lugares. A atração entre eles é intensa. No entanto, os segredos que Lucas esconde ameaçam separá-los. Mas eles vão ter de descobrir que somente juntos podem lutar contra a dor e a culpa, enfrentar a verdade — e encontrar o poder inesperado do amor.

Caliente e polêmico!
Li muitas críticas mergulhadas em ideologias sexistas e quando li achei tudo um grande exagero.
O personagem é escrotinho sim! Manipulador e dominador, mas a mocinha nada tem de frágil e dá num show de reversão de poder.
Fantástico!
Li o segundo na sequência.

Uma estagiária ambiciosa. Um executivo perfeccionista. E um relacionamento ardente e totalmente perigoso! Esperta, dedicada, prestes a cursar um MBA, Chloe Mills tem apenas um único problema: seu chefe, Bennet Ryan. Ele é exigente, insensível, sem consideração – e completamente irresistível. Um belo cretino. Bennet acaba de retornar da França para assumir um cargo importante na empresa de comunicações de sua família. Mas o que ele não poderia imaginar era que a pessoa que o ajudava enquanto ele estava no exterior era essa criatura linda, sensual e totalmente irritante que agora ele tem de ver todos os dias. Ele nunca foi do tipo que se envolve em relacionamentos no ambiente de trabalho, mas Chloe é tão tentadora que ele está disposto a flexibilizar essa regra – ou quebrá-la de uma vez – para tê-la. Por todo o escritório! Mas o desejo que um sente pelo outro cresce tanto que Bennet e Chloe terão de decidir o que estão dispostos a perder para ganhar um ao outro.

Esse me gerou grandes expectativas e supriu todas.

Achei o livro bem narrado e construído.
Um história meiga que pecou apenas com uns detalhes que podem ser ignorados.
Um dos 10 mais!

Camryn Bennett é uma jovem de 20 anos que desistiu do amor desde que Ian, seu namorado, morreu num acidente de carro há um ano. Sua melhor amiga, Natalie, é a única capaz de animá-la. Mas a relação entre as duas fica abalada quando o namorado de Nat revela à Camryn que está apaixonado por ela. Perdida, sem saber o que fazer, Camryn vai para rodoviária e pega o primeiro ônibus interestadual, sem se importar com o destino.

Com uma carteira, um celular e uma pequena bolsa com alguns itens indispensáveis, Camryn embarca para Idaho. Mas o que ela não esperava era conhecer Andrew Parrish, um jovem sedutor e misterioso, a caminho para visitar o pai, que está morrendo de câncer. Andrew se aproxima da companheira de viagem, primeiro para protegê-la, mas logo uma conexão irresistível se forma entre os dois.

Camryn tenta lutar contra o sentimento, já que jurou nunca mais se apaixonar desde a morte de Ian. Andrew também tenta resistir, motivado pelos próprios segredos. Narrado em capítulos que alternam as vozes de Andrew e Camryn, Entre O Agora e O Nunca é uma história de amor e sexo, na qual os personagens testam seus limites, exploram seus desejos e buscam o caminho que os levará à felicidade.


Esse livro é fantástico!

Com uma narrativa rápida e bem amarrada é outro New Adult viciante e vai para a galeria dos 10 mais!

Ninguém sabe o que aconteceu na noite em que Echo Emerson, uma das garotas mais populares da escola, se transformou em uma “esquisita” cheia de cicatrizes nos braços e alvo preferencial de fofocas. Nem a própria Echo consegue se lembrar de toda a verdade sobre aquela noite terrível. Ela só gostaria que as coisas voltassem ao normal.

Quando Noah Hutchins, o cara lindo e solitário de jaqueta de couro, entra na vida de Echo, com sua atitude durona e sua surpreendente capacidade de compreendê-la, o mundo dela se modifica de maneiras que ela nunca poderia ter imaginado. Supostamente, eles não têm nada em comum. E, com os segredos que ambos escondem, ficar juntos vai se mostrar uma tarefa extremamente complicada.

Ainda assim, é impossível ignorar a atração entre eles. E Echo vai ter de se perguntar até onde é capaz de ir e o que está disposta a arriscar pelo único cara que pode ensiná-la a amar novamente. No limite da atração é um livro sexy e envolvente sobre o amor de duas pessoas que estão perdidas e que juntas tentam desesperadamente se encontrar.


Esse é um livro de série, o segundo livro da série Nigth Huntress.
Já li quase todos que foram publicados no Brasil..
Estou guardando a virada do ano para entrar com o pé direito e o quinto livro em primeiro do ano.
Bones é um dos amores da minha vida e sempre é uma excelente opção de leitura!
Você pode até fugir da sepultura, mas não pode se esconder para sempre... A meio-vampira Cat Crawfield é agora a Agente Especial Cat Crawfield, trabalhando para o governo para livrar o mundo de mortos-vivos mal intencionados. Ela ainda usa tudo o que Bones, seu ex-namorado sexy e perigoso, ensinou a ela. Mas quando Cat torna-se alvo de assassinos, o único homem que pode ajudá-la é justamente o vampiro que ela abandonou. Estar perto dele desperta todas as suas emoções, desde a adrenalina ao matar vampiros ao seu lado à temerária paixão que os consome. Mas o preço por sua cabeça – Procura-se: morta ou meio-morta – significa que sua sobrevivência depende de unir-se a Bones. Não importa o quanto tente manter as coisas profissionais entre eles, Cat irá descobrir que o desejo dura para sempre... E que Bones não vai deixá-la fugir novamente. “Uma nova reviravolta nos clássicos mitos de vampiros… Jeaniene Frost tem um livro campeão em suas mãos.” Yasmine Galenorn, autora bestseller de Changeling, USA Today

Emily Giffin é uma autora extremamente talentosa, uma das melhores que conheço.
Sempre que tem um lançamento dela, priorizo a leitura.
Esse livro é de uma profundidade e sensibilidade singular.
Chorei muito!

A autora de cinco romances de sucesso, Emily Giffin, lança uma história inesquecível de duas mulheres, as famílias que a fazem ser quem são, e a lealdade e o amor que as ligam. Marian Caldwell é uma produtora de televisão de 36 anos, vivendo seu sonho em Nova York. Com uma carreira bem-sucedida e um relacionamento satisfatório, ela convenceu todo mundo, inclusive si mesma, que sua vida está do jeito que ela deseja. Mas uma noite, Marian atende a porta... para apenas encontrar Kirby Rose, uma garota de 18 anos com a chave para o passado que Marian pensou ter deixado para trás para sempre. Desde o momento que Kirby aparece na sua porta, o mundo perfeitamente construído de Marian — e sua verdadeira identidade — será chacoalhado até o fim, fazendo ressurgir fantasmas e memórias de um caso de amor apaixonado que ameaça tudo para definir quem ela realmente é. Para a precoce e determinada Kirby, o encontro vai provocar um processo de descobrimento que a leva ao começo da vida adulta, forçando-a a reavaliar sua família e seu futuro com uma visão sábia e doce. Enquanto as duas mulheres embarcam em uma jornada para encontrar o que está faltando em suas vidas, cada uma irá reconhecer que o lugar no qual pertencemos normalmente é onde menos esperamos — um lugar que talvez forçamos a esquecer, mas que o coração se lembra eternamente.

Outro livro divisor de águas...
Uns amam, outros odeiam.

Eu amei!
Não segue a linha sexo do inicio ao fim, mas há um ar de erotismo, sensualidade, em cada linha.
Muito bom!

Enigmático e sedutor, Gabriel Emerson é um renomado especialista em Dante. Durante o dia assume a fachada de um rigoroso professor universitário, mas à noite se entrega a uma desinibida vida de prazeres sem limites. 
O que ninguém sabe é que tanto sua máscara de frieza quanto sua extrema sensualidade na verdade escondem uma alma atormentada pelas feridas do passado. Gabriel se tortura pelos erros que cometeu e acredita que para ele não há mais nenhuma esperança ou chance de se redimir dos pecados.
Julia Mitchell é uma jovem doce e inocente que luta para superar os traumas de uma infância difícil, marcada pela negligência dos pais. Quando vai fazer mestrado na Universidade de Toronto, ela sabe que reencontrará alguém importante – um homem que viu apenas uma vez, mas que nunca conseguiu esquecer. 
Assim que põe os olhos em Julia, Gabriel é tomado por uma estranha sensação de familiaridade, embora não saiba dizer por quê. A inexplicável e profunda conexão que existe entre eles deixa o professor numa situação delicada, que colocará sua carreira em risco e o obrigará a enfrentar os fantasmas dos quais sempre tentou fugir. 
Primeiro livro de uma trilogia, O inferno de Gabriel explora com brilhantismo a sensualidade de uma paixão proibida. É a história envolvente de dois amantes lutando para superar seus infernos pessoais e enfim viver a redenção que só o verdadeiro amor torna possível.

Richelle Mead é fantasticamente talentosa!
É a autora de VA que teremos filme ano que vem.
Essa série é simplesmente maravilhosa.
Fico até na dúvida se não é melhor que VA, hein?
Surpreendente e muito bem articulada, merece nossas rosas!
Georgina Kincaid tem uma eternidade para descobrir sobre o sexo oposto, mas algumas vezes eles ainda a surpreendem. 

Veja Seth Mortensen. O homem arriscou sua alma para se tornar namorado de Georgina. Ainda assim, com Lucifer como patrão, Georgina não pode apenas pendurar seus saltos assassinos e sossegar na felicidade doméstica. De fato, ela está sendo forçada a transferir suas operações... para Las Vegas. 

A Cidade do Pecado é um show de sonho para uma súcubo, mas os aliados de Georgina são suspeitos. 

Por que os tão-poderosos estão tão ansiosos em afastá-la de Seattle - e de Seth? Georgina é um dos bens mais valiosos do Inferno, mas se existe alguma forma de sair desse negócio de succubus ela planeja conseguir - não importa quantos atropelamentos ela vai deixar para trás. Ela espera apenas que as casualidades não incluam um homem pelo qual ela está arriscando tudo...


Este, li para o blog Lost in chick lit, mas é um dos melhores da vida!
Já sabia da fama de John Boyne e seu 'Menino do pijama listrado', mas não calculei a profundidade que a leitura desse autor podia me trazer.
Lindo, profundo, sensível e tocante!
Um dos melhores da vida!
Inglaterra, setembro de 1919. Tristan Sadler, vinte e um anos, toma o trem de Londres a Norwich para entregar algumas cartas à irmã mais velha de William Bancroft, soldado com quem combateu na Grande Guerra. Mas as cartas não são o verdadeiro motivo da viagem de Tristan. Ele já não suporta o peso de um segredo que carrega no fundo de sua alma, e está desesperado para se livrar desse fardo, revelando tudo a Marian Bancroft. Resta saber se o antigo combatente terá coragem para tanto. Enquanto reconta os detalhes sombrios de uma guerra que para ele perdeu o sentido, Tristan fala também de sua amizade com Will, desde o campo de treinamento em Aldershot, onde se encontraram pela primeira vez, até o período que passaram juntos nas trincheiras do norte da França. O leitor pode testemunhar o relato de uma relação intensa e complicada, que proporcionou alegrias e descobertas, mas também foi motivo de muita dor e desespero.

Podia ter passado sem esses...

Leitura vulgar e desnecessária, sem mais...
Então você se arrumou toda para uma noite de amigas, daquelas onde só as mulheres participam, mas suas amigas mudaram de planos sem avisar e, agora, você está sozinha em um bar superbacana, arrumada e perfumada, e sem saber bem para onde ir... O que você faz? Aproveita que já está por ali, pede uma tequila e dá uma boa olhada no yuppie que está na mesa ao lado? Ou pede uma cerveja e vai pra perto do palco arrebatar o baterista? Pode ser que você prefira uma paquera com o rapaz de botas de bico fino e músculos trabalhados que está encostado à parede. Ou, quem sabe, tomar um café com o bombeiro que está cuidando da segurança dos clientes e que, neste instante, está verificando o funcionamento do extintor... E isso tudo só pra começar! A escolha é sua — e você tem um mundo de possibilidades nesta noite que parecia começar mal! Só não espere que esta experiência seja como outra qualquer, porque esta noite ficará definitivamente marcada em sua memória de erotismo e paixão. Divirta-se com esta definitiva experiência sensual onde você, e só você, terá o controle de seu próprio prazer!

Filão de 50 tons de cinza, traz uma história recheada de perversão sexual sem nenhum vínculo afetivo, sexo por sexo para sexo.Não fez minha cabeça e só terminei porque era de parceria.Resenha aqui!!!
Jornalista independente, de 30 e poucos anos, Sophie Morgan não tem vergonha de admitir que tem gostos sexuais excêntricos. Entre quatro paredes — mas só entre quatro paredes, que fique claro desde o início —, ela gosta de ser submissa. Desde bem jovem ela passou a notar que pensava bastante em sexo. Também percebeu o quanto algumas experiências inusitadas mexiam com ela de uma maneira profunda. Mas foi só na faculdade que ela começou a viver experiências consideradas fora do padrão e notar o quanto aquilo tudo lhe proporcionava um enorme prazer. Depois de viver sua primeira relação sexual sadomasoquista, sem sequer saber direito classificá-la como tal, sente-se definitivamente atraída por esse novo mundo. E após um caso quente e revelador com seu amigo Thomas, é em James que Sophie encontra seu dominador verdadeiro e uma paixão que a leva a testar limites que nem ela mesma poderia imaginar. Ela é uma mulher como outra qualquer, inteligente, carinhosa, sarcástica e que, como ela sempre faz questão de dizer, com uma família amorosa e presente. Mas muito cedo começou a perceber que seu interesse sexual não era tão convencional assim e aquilo que a excitava não era o que excitava suas amigas. Na verdade, tinha certeza de que as deixaria chocadas. Mesmo gostando de ser submissa, Sophie precisa tomar cuidado ao externar essa faceta. Por receio de ser julgada, ela tem que saber muito bem com quem e como falar sobre isso. “Ser uma mulher submissa dá a sensação de algo politicamente incorreto, mas é minha escolha e eu tenho a liberdade de fazê-la”, diz, alertando para os estereótipos prejudiciais em relação aos que praticam o sadomasoquismo. Sophie reconhece que o megasucesso da saga Cinquenta tons de cinza tem contribuído de forma expressiva para a popularização da prática sadomasoquista, mas garante que a última coisa que pretende ser é pervertida. Na vida profissional e social, ela é uma mulher responsável, competitiva, preocupada com suas contas e com algumas gordurinhas indesejáveis. Enquanto é teimosa e independente no dia a dia, tem um outro lado que só aflora quando confia no parceiro com quem vai jogar.

Sem graça e mal articulado, estou começando a achar que nem gosto de Sylvia Day, hein?
Uma grande decepção!
Há sete anos, na véspera de seu casamento, a recatada Jessica Sheffield presenciou uma cena de libertinagem que nenhuma jovem inocente poderia imaginar. Escandalizada, mas estranhamente excitada, ela guardou silêncio com respeito ao escandaloso Alistair Caulfield, e andou para o altar da igreja como esperavam. Mas durante anos de um casamento sereno e tedioso, a imagem de Caulfield ardeu em sua imaginação, alimentando seus sonhos mais ilícitos… Alistair fugiu para longe da tentação da recatada debutante com o fogo da paixão gravado em seus olhos…. até o Caribe. Agora um comerciante rico, ele pouco tem em comum com o jovem libertino que ela conheceu. Mas quando Jessica, recém enviuvada, sobe a bordo de seu barco para cruzar o oceano, somente algumas peças de seda controlam sete anos de prazeres reprimidos… e a certeza de que sucumbir consumirá a ambos…




Agradeço a todos vocês que fizeram parte de um dos melhores anos da minha vida!!!
Que venha 2014!!!!

2 comentários:

Thays disse...

Os cinco primeiros livros da tua lista e Laços Inseparáveis também fazem parte dos melhores do ano para mim!!! <3
O Inferno de Gabriel eu pretendo ler esse ano ;)
E dos que você não gostou eu não li nenhum, mas os piores do ano pra mim foram Bem Profundo, Eu e Você e as graphic novels de Os Borgias!

Torcendo para que em 2014 só tenha leituras boas :*

Débora Menezes disse...

Só coisas boas hein, Dê!? Você merece tudo isso e mais!
Bom, como sua seguidora aqui no blog e na vida, kkk, devo dizer que sua lista de top 10 li 6 e concordo. Mas já estava quase surtando porque não via Gabriel ( os dois, porque achei O julgamento ainda melhor que o primeiro, e por mim já poderia acabar por aí, que já estava de bom tamanho)! Obrigada pelas resenhas instigantes e tudo de bom nesse novo ano! Bjo.

Postar um comentário

Comentários preconceituosos e desrespeitosos serão ignorados. Manifeste sua opinião com educação. =)