sexta-feira, 9 de novembro de 2012

A primeira noite - La première nuit - Marc Levy



A primeira noite
Editora: Suma das Letras
Autor: Marc Levy
ISBN: 9788581051123
Ano: 2012
Edição: 1
Número de páginas: 341
Compre aqui:
*Cultura*Saraiva*Fnac*Americanas


A primeira noite é a conclusão da história apresentada a nós em O primeiro dia.
Caso não tenhas lido o primeiro, não recomendo que continue a leitura dessa resenha, a menos que não se importe com pequenos spoilers do livro anterior.
Relembrando o primeiro...
Keira é uma arqueóloga que busca a origem da humanidade nas areias do vale do Omo, na Africa.
Após uma tempestade de areia que colocou tudo a perder, ela se viu obrigada a retornar a confortável Europa.
Consigo carrega um estranho artefato no pescoço, presente do pequeno africano Harry.
Tal mimo desperta a atenção do professor Ivory, curador do museu que a irmã de Keira trabalha.
Ivory estudou a muitos anos atrás um objeto semelhante, teve sua pesquisa embargada pela mesma argumentação usada pelos que queriam queimar Galileu.
Em busca de recursos financeiros para prosseguirem com suas pesquisas, Keira e Adrian se encontram em Londres.
Adrian buscava a origem do universo em Atacama, no Chile, quando foi acometido de uma embolia pulmonar, também sendo obrigado a voltar a Europa.
Já tiveram um romance no passado e o reencontro desperta sentimentos perdidos.
Adrian é um astrofísico extremamente competente que busca a origem do universo e o encontro com a arqueóloga Keira e seu misterioso artefato os colocam no olho de um furacão internacional.
Tanto Keira quanto Adrian tiveram a oportunidade de visualizar diante de uma tempestade o registro que o presente de Harry guarda.
Quando exposto a uma forte descarga elétrica (como raio de nuvens ou raio laser) um estranho fenômeno ocorre.
O artefato projeta um mapa do céu no momento que foi criado, isto é, um mapa do céu como ele era a  400 milhões de anos.
No entanto, é uma visão fragmentada desse céu e nosso astrofísico rapidamente entende que há outros artefatos com o restante do mapa.
Seria a origem do universo gravada ali?
Seria a origem da humanidade?
Curiosidade e conhecimento profundo os levam em busca de respostas e o fazem descobrir fatos que o mundo quer ignorar.
O singelo objeto preso ao pescoço de Keira traz segredos obscuros que podem mudar o rumo da humanidade, de suas crenças.
Uma teia internacional trabalha para impedi-los de tomar esse conhecimento.
Com isso, vários 'incidentes' ocorrem com nosso casal apaixonado.
Findando o primeiro volume, temos Adrian martirizado por um suposto falecimento de Keira.
Uma caixa de pertences de Keira põe Adrian a suspeitar de sua sobrevivência, já que entre a s fotos há uma de Keira com uma grande cicatriz na face (algo novo e possivelmente consequente do acidente de carro que os separaram).
Após um reencontro emocionante e juras de amor, a curiosidade continua perturbando nosso casal.
Afinal, é a busca de suas vidas!
O que os faz novamente rodar o mundo em busca de conclusões.
Agora estão cientes de que há quem procure silenciá-los.
O livro é eletrizante!
Entre suspense, amor, questionamentos científicos e religiosos, a história é construída.
Uma trama extremamente bem articulada, que em alguns momentos é minunciosamente detalhada, nos prende do início ao fim.
Personagens fortes e obstinados dão um toque final a nossa absoluta redenção.
Já lamento a saudade que sinto de Keira, Adrian, Harry, Walter, Ivory e até de Ashton (nosso grande vilão).
O final foi épico e não podia ter sido melhor.

_O homem não precisou acreditar em Deus para se matar - devolveu Isabel-, mas sim para sobreviver, para fazer o que a natureza manda e garantir a continuidade da espécie.
_ Os animais fazem isso sem acreditar em Deus - disse Keira.
_ Mas o homem é o único ser vivo nesta Terra a ter consciência da sua própria morte, senhorita, é o único a temê-la. (Pag. 328) 



Um comentário:

Bruna Britti disse...

Ain, eu tbm fiquei com saudades dos personagens. :(

Principalmente do Adrian, ô menino fofo <3 hahaha Sabe que nas cenas de love *cof, cof*, eu ficava imaginando os dois deitados, ele olhando p/ ela enquanto a chatonilda dormia? hahahaha Descobri que adoro um Grey, mas tbm super amo um homem sensível como o Adrian hehehe. Quero um Adrey p/ mim :P

O Walter é uma graça tbm. Acho que todo mundo deveria ter na vida um amigo assim.

Tbm gostei mto da história toda, nunca tinha lido nada do autor mas fiquei encantada. Soube que foi ele quem escreveu "E se fosse verdade...", (adoro o filme), ainda não li mas vai ser minha próxima leitura dele.

Adorei a resenha linda, beijos :*

Postar um comentário

Comentários preconceituosos e desrespeitosos serão ignorados. Manifeste sua opinião com educação. =)