sexta-feira, 24 de agosto de 2012

50 tons de cinza - Fifty Shades of Grey - E L James

Cinquenta tons de cinza
Editora: Intrínsca
Autor: E L James
ISBN: 9788580572186
Ano: 2012
Edição: 1
Número de páginas: 455
Compre aqui:
*Cultura*Saraiva*Fnac*Americanas


Quando começaram os comentários acerca do sucesso estrondoso da publicação de '50 tons de cinza', eu já sabia que obrigatoriamente leria.
É um livro com temática adulta e que traz uma linguagem erótica, portanto, menores favor se absterem.
Esse livro chegou as minhas mãos como presente de aniversário atrasado da minha amada amiga Márcia (obrigada linda) e chegou exatamente quando eu terminava 'Belo desastre'.
Assumo que estava num estado de espírito que seria difícil outro livro me interessar, pois 'Belo desastre' abalou meu mundo literário de tanto que gostei.
Curiosamente saí de um livro de mocinho psicopata para outro de mocinho tão psicopata quanto.
Kate e Ana estão as vésperas da formatura e como o milionário Christian Grey é um grande contribuidor em sua universidade, Kate (que trabalha no jornal da faculdade) deslocou montanhas para entrevistá-lo.
Após seis meses de insistência e negociação, Kate consegue a sonhada entrevista.
O que ela não esperava era cair doente justamente no dia que tinha que viajar a Seatle para entrevistá-lo.
O jeito é persuadir Anastácia (carinhosamente apelidada por mim como Anatolastácia) a executar a entrevista em seu lugar.
Ana é uma moça ingênua, tímida, que enrubesce facilmente, estabanada e já com fortes características submissas, já que aguenta a autoritária Kate há quatro anos.
O encontro é um fiasco, Ana se estatela no chão ao entrar e durante a entrevista e mostra completa ignorância sobre o entrevistado.
Mesmo assim, Christian Grey fica fascinado e aciona seu super poder stalker para rodear a moça.
Um homem bonito, elegante, rico, imponente, autoritário e super protetor... nossa mocinha se derrete.
No entanto, Sr Grey mostra um gosto nada convencional ao se tratar da vida sexual. 

Nosso galã é praticante de BDSM (Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo) o que se torna um ponto de cruel divergência de interesse, uma vez que nossa insonsa menina é virgem.
Enfim, mesmo ciente 'de não ser bom a ela' Grey 'não consegue se afastar' e ela acaba pedindo que 'ele não se afaste então'.
Você está se perguntando: 'Denise ficou louca?'
Não fiquei.
50 tons de cinza é originado de uma fanfic de 'Crepúsculo', com isso, você vai encontrar semelhanças em algumas passagens.
Nossa Ana é uma Bella caricaturada de tão atrapalhada, essa sim nasceu com '2 pés esquerdos'.
Não me digam que consideram spoiler eu dizer que Ana é iniciada sexualmente por Sr Grey (fiscais de spoiler - isso é muito óbvio) e claro que ele a inicia nas praticas BDSM também.
As cenas de sexo são narradas explicitamente e a linguagem é adulta, numa passagem Sr Grey diz "Não faço amor, eu fodo e com força".
Isso ilustra como essa obra opera.
Então queridos, se você tem interesses mais conservadores não leia.
De um modo geral gostei do livro e certamente lerei o restante.
Isso não me faz cega aos inúmeros problemas que localizei.
Algumas passagens foram mal formuladas, mal desenvolvidas.
Detestei as passagens de Ana falando com seu vulgo inconsciente, me pareceu claramente uma dissociação de personalidade.
Outra persistente passagem irritante são as inúmeras menções a deusa interior que não consegui associar a nada além de uma noção distorcida da realidade. Essa tal entidade seria a libido da criatura? Vai entender! (outra dissociação de  personalidade, essa mulher é psicótica paranóica hehe)
Ana é a mulher mimimimi, mesmo Grey afirmando e reafirmando seu afeto e sua condição monogâmica a criatura fica criando minhocas na cabeça.
Seu ciúme ao passado de Grey é obtuso e intrusivo. 
Tem mais, ela sente ciúmes até do que poderia ter acontecido se fosse Kate a fazer a entrevista ao invés dela!!
Entendo que ela é completamente imatura emocionalmente e espero entender seus problemas com intimidade nos próximos livros (porque uma moça chegar aos 21 anos virgem e sem nunca ter namorado/se apaixonado não é normal).
Ana parece uma menina que está descobrindo o amor e a sexualidade, não se comporta como ma moça e sim como uma menina e como toda menina acredita que seu sabor move montanhas, muda personalidades.
Já acredito que é justamente essa ingenuidade que fisga nosso milionário.
Li comentários que ele seria uma homem cruel que se 'aproveita' da ingenuidade de Ana em benefício próprio.
Discordo plenamente!
Christian Grey esconde um passado nebuloso, foi adotado com quatro anos, sua mãe era uma viciada em crack. Ele esconde marcas no peito e sente pânico em ser tocado.
Apresenta a Ana seu mundo e sua condição para ter um relacionamento, oferece inúmeras oportunidades para que ela saia desse circuito e ela escolhe - como ela mesma diz - a degradação.
Ao apresentar seu mundo, antes de seduzi-la, Christian dá a Ana um contrato formalizado para que ela leia e verifique se está disposta a levar isso adiante.
A meu ver não há nada mais simbólico e formalizado do que ele quer e como ele quer, dando-lhe plena escolha de aceitar ou vetar.
Ana visivelmente provoca mudanças no rapaz. 
Antes ele não namorava, não aparecia em público acompanhado e nunca dormia na mesma cama que outra mulher.
Com Ana ele quebra todas as regras (mesmo assim a moça fica 'mimimi', não enxerga).
Apesar dos números de venda falarem o contrário, '50 tons de cinza' não é um livro para todos, mas desponta uma nova tendência editorial.
Mostra que o público não está mais interessado em amenidades como 'apagaram as luzes... no dia seguinte'.
Ponto para nós amantes de uma leitura adulta e mais caliente.

10 comentários:

αηδψϊηћα ஐβϊττψஐ disse...

Sua resenha é +ou- o q espero do livro, um romance possessivo, com erros por ser originalmente uma fanfic e semelhanças pelo mesmo motivo anterior, e tbm acho q não dá p/ comparar com Crepúsculo pq a ideia dos livros é totalmente diferente.

Andy_Mon Petit Poison

Unknown disse...

Os comentários em relação ao livro estão bem divididos. Fiquei super curiosa para conhecer melhor essa história! Quero ler logo..
Não esquece de levar pra mim heheh
beeeijos

Thiana Santana disse...

As semelhanças com Crepúsculo em alguns momentos são irritantes, apesar de gosta da série, mas acho que faltou da parte da autora dá uma maior vida própria ao seu personagens que em alguns momentos são caricaturas e nada originais.
Porém as semelhanças terminam ai.
Eu gostei de 50 Tons de Cinza, não nego, e acho que parte disso é pelo fato de o livro deixar uma lacuna imensa no quesito o misterioso passado do Sr. Grey e na expectativa de Ana ser mais adulta e deixar de "mimimimi"
Agora só é aquela expectativa para 50 Tons Mais Escuros e ver se E.L. James não vai enrola mais um pouco e deixar tudo para o último livro.

Flavia Souza disse...

Adorei...
Gostei mais ainda por alguem finalmente concordar comigo no ponto que o Grey não é um homem cruel que esta se aproveitando da pobre e inocente Ana, na verdade ele deu a ela opções e ela escolheu o que julgou ser melhor.
E verdade com ela, ele meio que 'perde' um pouco daquele controle sobre tudo que ele tinha, a medida que vai quebrando as regras e mudando.

Lívia Martins disse...

"I fuck. Hard."

Ele ganhou meu coração aí!

Mariana Pereira disse...

Eu acho que as pessoas estão focando em dois pontos, a meu ver, nem tão necessários assim: as cenas eróticas e o fato de ser uma fanfic. Muita gente espera que a autora, que nunca escreveu um livro na vida, tenha as melhores frases do mundo, as tiradas mais cultas e blá, blá, blá. Por isso curti tua resenha! :)
Li os três livros em inglês e tentei ler o primeiro em português. Honestamente? Passei pra frente. Minha amiga levou e acabou de ler, apaixonada por Christian. A versão original é bem melhor do que a traduzida e a estória é fofa demais!
Quanto ao comentário da Lívia Martins... Christian me ganhou bem antes disso, mas o "I fuck. Hard" foi... enfim. Christian pega eu! HAHAHAHAHAHAHAH

Beeeeijos

Vanessa Vieira disse...

Parabéns pela resenha Denise! Muito em breve pretendo ler Cinquenta Tons de Cinza. Beijos!

Anônimo disse...

Li os tres livros em ingles e sinceramente nao acho que a Ana seja tao inocente assim. Ela sabe muito bem aonde esta se metendo. Ela eh inexperiente e insegura, mas nao inocente. Ela tem curiosidade sobre o mundo de Grey. Ela quer experimentar e viver tudo o que ele tem a oferecer, mas como muitas mulheres quer saber se o amor dela pode muda-lo. Ela nao se conhece o suficiente para ter a confidencia de saber que um homem como ele pode se interessar por ela. A Deusa interior.... nao sei se daria este nome, mas eu sou uma pessoa que peso muito os pros e contras de tudo que faco e falo comigo mesma. Me identifiquei com a deusa interior como voce fala. Quem nao tem? Grey eh a confidencia em pessoa, o passado dele justifica sua persona.

Tathy disse...

Realmente o mimimi de Ana é tão irritante quando o de Bella no sentido de não acreditarem nos príncipes que são Edward e Mr. Grey em relação ao amor e tal... pra mim, isso é o mais irritante tanto aqui quanto em Crepúsculo. Se o cara quer te dar um carro pq ele "pode", aceita a porcaria do carro então ué!

Tb discordo plenamente de que Christian seja cruel. Infelizmente grande parte das pessoas que criticam, não leram o livro e o que mais me atrai no livro é justamente o teor psicológico por trás da "perversão" dele.

PS: Depois do seu comentário sobre Belo Desastre, acho que vou passá-lo na frente! rs

Laura disse...

Adorei o livro, eu nāo diria que a Ana é tāo assim, ela é inexperiente e curiosa, deseja somente desvendar o mistério qué é o Crisian Grey. A deusa interior nada mais é que sua Auto -Estima que oscila entre altos e baixos. Eu adoraria que o Cistian me fudesse mas mesmo com muita força, kkkkk!

Postar um comentário

Comentários preconceituosos e desrespeitosos serão ignorados. Manifeste sua opinião com educação. =)