domingo, 15 de abril de 2012

12 horas - Gone

12 Horas
Titulo Original: Gone
Gênero: Drama e Suspense
Duração: 80 min.
Origem: Estados Unidos
Estreia: 13 de Abril de 2012
Direção: Heitor Dhalia
Censura: 14 anos
Ano: 2012

Minha filha e minha irmã ficaram estremecidas com a reexibição de 'Titanic' no  cinemas, ainda mais considerando que seria 3D.
A saída que encontrei (já que eu não queria rever pela milésima vez) foi dividir as equipes na porta do cinema.
Então ficou assim: meninas para 'Titanic', uma parte dos meninos para 'Fúria de titãs' e eu e meu cunhado para '12 horas'.
As meninas foram as primeiras a entrar na sala do cinema, considerando que o filme delas tem 3 horas e 15 minutos, já sabíamos que teríamos muito tempo a matar...
Entrei em '12 horas' sem saber quase nada do filme, o que mais me atraía era ter Amanda Seyfried (Cartas para julieta, A garota do capuz vermelho) no elenco.
Há dois anos, Jill Parrish (Amanda) foi encontrada de pijama, no meio de um parque com uma história confusa.
Ela dizia ter sido sequestrada enquanto dormia e teria acordado em um buraco no chão, onde tinha vários restos de corpos humanos. 
Em sua versão, ela nunca chegou a ver o rosto do sequestrador e não sabia dar a localização exata do local do cativeiro, já que ele era no meio de uma floresta.
Jill e sua irmã Molly possuem uma história confusa, as meninas ficaram órfãs e desse trauma apresentaram distúrbios comportamentais.
Assim, a polícia não deu crédito a história de Jill, para completar a agitação psicológica de Jill só complicou mais ainda as coisas e ela acaba sendo internada em uma instituição psiquiátrica.
O tempo passou, mas Jill não superou tudo isso. 
Hoje, em liberdade, ela passa os dias esperando o retorno do sequestrador que ela sabe que existe!
Enquanto isso, não tem vida social, faz aulas de auto-defesa e se dedica a encontrar o buraco que a reteve no meio da floresta.
Um belo dia, ela volta do trabalho noturno, com a missão de acordar a irmã que teria uma prova importante e descobre que ela sumiu.
Imediatamente, ela acredita que o raptor voltou e que teria pego a irmã em seu lugar.
Ela dá queixa, mas com seu histórico, a polícia não lhe dá crédito e segue com a norma de 48 horas para considerar seu desaparecimento.
A partir daí, Jill começa sua caçada em busca de resgatar a irmã e quem sabe ter o bônus de se livrar desse sujeito que assombra seus pesadelos.
O filme é tenso!
Passei uma hora e 34 minutos ansiosa, aguardando sustos.
É tudo muito clichê, como o gato que pula no escuro (e me fez pular também), o vigia que a pega pelo ombro na cena de tensão, o policial novato que acredita na história dela e nos faz acreditar que tenha vínculo com o serial killer ou o namorado da irmã que acha que nada é nada e que Molly deve estar bêbada em algum canto... tudo para ampliar o hall de potenciais assassinos.
Mesmo assim, adorei o filme.
O desfecho foi óbvio e mais rápido que o necessário, mas valeu a pena.
Heitor Dhalia
Nosso filme acabou uma hora e 25 minutos antes da sessão de 'Titanic' e tivemos a oportunidade de vislumbrar uma legião de mulheres de nariz e olhos vermelhos saindo chorosas da sessão lacrimosa do naufrágio, essa foi a parte mais engraçada.. hehe
12 horas é dirigido pelo brasileiro Heitor Dhalia e a única pergunta que eu mantenho é: Por que 12 horas?
Pois é... não entendo essas reinvenções de títulos...

Um comentário:

NatyMoura disse...

Ahhh, odeio chorar no cinema, quando Titanic chegar aqui na minha cidade vou chorar horrores! Talvez se eles fizessem uma versão mais recente de Titanic, mesmo que esse tenha marcado e ninguém jamais vai esquecer do lindo do Leonardo DiCaprio e da Rose que agora eu esqueci o nome da atriz, acredito que faria mto sucesso tbm! bj adorei o blog :D

Postar um comentário

Comentários preconceituosos e desrespeitosos serão ignorados. Manifeste sua opinião com educação. =)