terça-feira, 13 de março de 2012

Amante Meu - Lover mine - J.R.Ward


Amante Meu - Lover mine - J.R.Ward
Editora: Universo dos Livros
Autor: J.R. WARD
ISBN: 9788579302916
Ano: 2011
Edição: 1
Número de páginas:605
Compre aqui:
*Cultura*Saraiva*Fnac

Não queria ler sobre John agora, gosto de deixar sempre um da série de reserva para emergências, mas não resisti.
John e Xhex prometia abalar meu mundo, "Amante vingado" deixou muita coisa em suspenso e não suportaria aguardar muito.
Sabe aquele tipo de livro que você termina de ler e já sente saudades dele??
Esse é "Amante Meu".
Oitavo livro da série "Irmandade da adaga negra" - conhecida entre os fãs como IAN.
Seguem os links das resenhas anteriores:
*Amante Sombrio
*Amante Eterno
*Amante Desperto
*Amante Revelado
*Amante Liberto
*Amante Consagrado
*Amante Vingado
*Amante Meu
*Irmandade da adaga negra - Guia oficial da série 


Normalmente IAN é uma série administrável, podendo ser lida fora de ordem e independente, por não ser sequencial.
Há algum tempo, tenho observado um enlace maior entre os personagens anteriores e isso tem se intensificado, mas mantenho minha posição de não fornecer spoilers - tentarei ser uma Jedi de spoilers free - combinado?
Uma breve recapitulação para quem desconhece a série...
Imaginem um mundo onde vamp's existem a margem do mundo humano, vivem centenas de anos e para sobreviver necessitem somente do sangue do par de sexo oposto de sua própria espécie.
Os vampiros desse universo não saem ao sol, são fortes, se recuperam extremamente rápido e possuem como inimigo uma subespécie, morta viva, chamada de redutores.
Uma guerra se forma nas sombras e os redutores têm mostrado uma força.
O mais novo integrante dessa horda zumbi transitou por anos na nata social dos vampiros e sabe bem suas vulnerabilidades.
Pior que isso, esse novo líder, que surgi no campo inimigo, possui uma força maior e mais complexa.
Para combater esse mal, temos os irmãos da adaga negra.
Vampiros de uma linhagem superior - guerreiros - fortes, destemidos e focados na defesa da raça.
John é um herdeiro do sangue de Darius
Irmão da rainha Beth.
Até ser descoberto por Mary e Beth, viveu entre humanos e sofreu várias agressões traumáticas, além da absoluta falta de encaixe social.
Possui uma limitação real, é mudo, mas já passou pela transição a vampiro e hoje está mais forte do que nunca e apto a enfrentar seus medos e desafios.
Possui um afeto exacerbado pela misteriosa Xhex, que agora está presa, sequestrada pelo maior inimigo que eles já tiveram.
Xhex é uma assassina perigosa que luta por sua sobrevivência desesperadamente enquanto os irmãos a procuram.
John  está desesperado e todo esse sentimento o expõe de uma forma limítrofe ao risco.
O livro é formado por vários fragmentos, ora lemos trechos do diário de Dárius, ora lemos a saga de John em resgatar sua amada, ora temos um relato (nada a ver com nada) contando de um jornalista investigando uma casa mal assombrada.
Várias vezes, me questionei onde tudo isso ia me levar, "acho que Ward ficou doida"!!
Mas são todas as peças de um quebra cabeça muito bem narrado e surpreendente.
Ward deu algumas escorregadas durante a série, como o desfecho de "Amante liberto" ou a narrativa de "Amante consagrado", cheguei a achar que ela tivesse se perdido, mas esse livro... aaahhhh esse livro.
Ela mostra toda sua força!
Entrou para um dos meus favoritos.
Destaco alguns personagens secundários que certamente virão a se destacar como: Tohr (meu guerreiro mais sofrido e que mais me faz sofrer, chorei por ele - nesse livro, em especial, temos um pouco da origem da amizade dele com Darius e dos primórdios de sua vida), Qhuinn e seu ata e desata com Blay (não imaginei que as coisas se tornariam tão intensas nesses dois).
Ahhh gente!!! 
É uma grande família e não sei se terei a capacidade de me despedir deles um dia.
Fico por aqui com um super quote que e deixou com um nó imenso na garganta.
Balançou a cabeça enquanto olhava a porta fechada. Nunca se sabe a última vez que se vê alguém. Quando aconteceria a última discussão, a última vez que faria sexo com essa pessoa ou a última vez que olharia  nos olhos dela e agradeceria a Deus por estar em sua vida. Depois que partiam? 
Só se consegue pensar nisso. Dia e noite. 
pag 580 

Um comentário:

Vanessa Vieira disse...

Parabéns pela resenha Denise! Já li Irmandade da Adaga Negra e curti bastante. Beijos!

Postar um comentário

Comentários preconceituosos e desrespeitosos serão ignorados. Manifeste sua opinião com educação. =)