sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Imortais - Immortals

Imortais
Titulo Original: Immortals
Gênero: Ação, Drama e Fantasia
Elenco: Henry Cavill, Stephen Dorff, Isabel Lucas, Freida Pinto, Luke Evans, Kellan Lutz, John Hurt, Mickey Rourke
Duração: 111 min.
Origem: Estados Unidos
Estreia: 30 de Dezembro de 2011
Direção: Tarsem Singh
Roteiro: Charley Parlapanides e Vlas Parlapanides
Censura: 16 anos
Ano: 2011

Sabe aquela terça-feira sem graça??
Então... numa dessas, fui convidada a ir ao cinema com minha amada filha, carcamano - seu namorado e o progenitor paterno do mesmo.
Como queria muito ver esse filme, aceitei ir apesar do risco de dormir pouco.
Em Imortais, o rei Hyperion (Mickey Rourke) assistiu ao assassinato de sua família e apesar de aclamar aos deuses, nenhum deles veio em socorro a suas preces.
Tomado pela dor e pela revolta, parte em busca de sua vingança.
Para isso, Hyperion almeja o arco de Epiro para com ele libertar os Titãs e com estes aliados dominar os humanos.
Hyperon assola a Grécia com suas investidas e o pânico entre as comunidades circula.
Mas nem tudo está perdido, do lado dos mocinhos temos Teseu (Henry Cavill) humano protegido e orientado secretamente por Zeus.
A mãe de Teseu foi violentada e assim nasceu Teseu.
O menino tornou-se homem vendo a humilhação de sua mãe e após a invasão de sua cidade assiste ao seu assassinato.
Teseu torna-se escravo nas minas de sal e assim tem um encontro com Freda - o oráculo (Freida Pinto).
Freda percebe o potencial para salvar a raça humana e consegue fugir com ele.
Apaixonada por Teseu, Freda abre mão de sua virgindade e, consequentemente, de seu dom de prever o futuro.
Zeus (Luke Evans) assiste a todos os acontecimentos do Olimpo proibindo seus filhos de manipular os fatos, crendo assim, no poder de Teseu para salvar o povo Grego.
Zeus só viria a intervir caso os Titãs fossem libertados.
Bem... o que dizer??
Assisti ao filme em 3D.
Quando tudo acabou, o trio que me acompanhou emitia sons de êxtase e eu estava em silêncio absoluto.
Foram tantas cenas de violência e degola que quando a luz acendeu, olhei se estava respingada de sangue.
O figurino me lembrou os desfiles da Apoteose e as interpretações não me convenceram.
Os ditos momentos "épicos", como o discurso pré-luta de Teseu, me frustou, nem nessa hora (normalmente grandiosa) houve algo de efeito.
Apesar disso, os efeitos especiais foram ótimos e o 3D estava muito bem trabalhado.
Ver Kellan Lutz (o Emmet de Crepúsculo e nesse filme um dos filhos de Zeus) em 3D e de sunguinha valeu meu ingresso.
Graças a Deus (ou aos deuses)!! Já que para mim, no mais foi um grande fiasco.

4 comentários:

Anônimo disse...

Henry Cavill, o Teseu da história, será o próximo Super Man. Tomara que faça valer a pena assistir e não desonre os tantos outros atores. Sobre o filme, Imortais, o que valeu a pena mesmo foi os efeitos visuais. Quando fiquei sabendo que seria do mesmo diretor de Trezentos, fui ver na mesma semana da estréia. Acho que uma nota para o filme seria um 6.

Mariana Paixão disse...

Assisti a esse filme também e me senti feito você. Achei a história totalmente desconexa, e as ações dos personagens sem jeito. Não gostei. Mas em relação aos efeitos e à pancadaria, é um filme que vale a pena, pra quem gosta e só quer saber disso =p

Marta Ribeiro disse...

Nossa tô doidinha pra ver esse filme, pela sua resenha vou adora-lo,Amei seu blog e passei á te segui,beijinhos!!!

Anna Carolina disse...

Adorei seu ultimo paragrafo, concordo plenamente com ele. rs
O filme não supero em nada as minhas expectativas.

Postar um comentário

Comentários preconceituosos e desrespeitosos serão ignorados. Manifeste sua opinião com educação. =)