quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Elizabeth West: A garota do cigarro - The cigarette girl

Elizabeth West: A garota do cigarro - The cigarette girl

Editora: Record
Autor: CAROL WOLPER
ISBN: 8501058173
Ano: 2001
Edição: 1
Número de páginas: 282

Ganhei esse livro agora no Natal de presente da minha amiga oculta/mãe.
Nunca tinha ouvido falar dele e a contra capa sugeria que tinha sido escrito para mim.
Elizabeth West é uma bem sucedida roteirista de Hollywood, está com 28 anos e acredita que tenha atingido "a fase".
A fase nada mais é que o período de 28 a 35 anos onde a mulher passa a refletir sobre suas prioridades num relacionamento.
Elizabeth crê que até os 28 anos as mulheres possam se divertir sem peso na consciência, mas a partir daí, o relógio biológico as obriga a pensar em constituir relações mais duradouras com intuito de construir um lar, uma família.
O grande problema é que Elizabeth é uma cínica do amor.
Além de não fazer escolhas saudáveis, ela não acredita no relacionamento.
Durante o livro ela se reveza em escolhas inapropriadas enquanto mantém um amor platônico por seu chefe, o grande diretor. 
A trama não se prende a história de Elizabeth, paralelamente temos uma visão panorâmica da cruel e superficial industria cinematográfica e de vários personagens secundários, mas ao mesmo tempo cativantes.
Adorei as amigas Julie e Mimi, elas juntas com Elizabeth formam um trio impagável.
O melhor amigo de Elizabeth, Andrew, é "o cara". Despertou meu sensor romântico, ele tem sorte, pois nesse livro certamente é o único homem que respeita afeto.
Elizabeth foge ao estereótipo hollywoodiano, é bonita, competente e inteligente.
É um mulher forte (talvez por não esperar o melhor das outras pessoas) não dramatiza os acontecimentos, é sarcástica, suas tiradas são hilárias e melhor de tudo, no caos ela não se intimida e não faz "cena".
Adoro personagens que fogem ao conceito "donzela ofendida" e na escola do cinismo, me senti uma amadora frente Elizabeth.
Um livro inteligente, com um humor mordaz e muito bem escrito.
Ressalvo apenas que ele me deprimiu, a crueza nas relações e sua proximidade com o real são fortes o bastante para abalar as românticas.
A autora, Carol Wolper, é roteirista e traz nessa obra muito de sua experiência em Los Angeles.
Quando terminei de ler senti um gostinho de quero mais, muitas arestas ficaram propositalmente abertas, como eu disse, é muito próximo do real, portanto nada conclusivo e muitas coisas ainda poderiam acontecer.
Carol podia ter feito uma continuação, né?

5 comentários:

Julianna Steffens disse...

tb quero =x

Joicy disse...

Marinheira de primeira viagem aqui no teu cantinho e já amei! Tudo aqui é muito lindo,fofo,meigo e aconchegante.

Amei~~
Joicy-santos.blogspot.com

Babi Lorentz disse...

Não conhecia esse livro, Dê. Mas gostei de sua resenha e se topasse com ele por ai, leria.
Beijão

Pri disse...

Fiquei com vontade de Ler!
Parece ser muito bom
=**

Larissa disse...

ótima dica pras minhas férias :)

Postar um comentário

Comentários preconceituosos e desrespeitosos serão ignorados. Manifeste sua opinião com educação. =)