sexta-feira, 10 de junho de 2011

A vida sexual da mulher feia - Claudia Tajes

A vida sexual da mulher feia - Claudia Tajes

Editora: L&PM
Autor: CLAUDIA TAJES
ISBN: 9788525420749
Ano: 2010
Edição: 1
Número de páginas: 144

Há meses minha grande amiga Mag me fala desse livro.
Me pede para ler esse livro.
Semana passada ela me colocou no "paredão": "Por que o livro que te indiquei, tu ignora?"
Na realidade, não ignorei. 
Tenho uma fila tão grande de livros para ler no criado mudo, que não cabe mais.
Além disso, são duas torres na sala e durmo com livros até em cima da cama. (Minha cama é king e durmo sozinha)
Enfim, como amo de paixão a Mag, parei tudo para ler sua indicação no domingo.
A vida sexual da mulher feia tem um título que resume o que o livro é.
Aqui conhecemos a história de Jucianara (sim porque feio também é abençoado com nome feio, segundo a personagem), uma moça que retrata ser desprivilegiada de beleza.
Ainda criança Ju chegava em casa triste e magoada por um coleguinha tê-la chamado de feia e a própria mãe desconversava.
Durante seu crescimente, foi constantemente alvo de deboche e bullying.
As pessoas tinha vergonha de serem vistas em sua companhia, até seus irmãos evitavam essa exposição.
Ju vai lentamente nos contando suas frustrantes experiências amorosas.
Do primeiro beijo, com o primo no portão (que sumiu até dos eventos familiares), a primeira transa, com um vizinho (escondido de todos).
Uma trajetória marcada pela rejeição.
Observamos uma adolescente se sujeitando a encontros bizarros, mendigando afeto, na esperança de suprir suas carências emocionais, ampliar suas vivências sexuais.
Ju é uma garota sarcástica, debochada e não demonstra mágoa com sua sorte.
Existem tiradas hilárias, assumo que ri bastante.
Cláudia faz esse percurso com muito bom humor e em sua apresentação, diz que tinha a pretensão de fazer um conto e que a história evoluiu para um livro.
O livro é curto, fácil e rápido de ler.
Confesso que me vi em várias cenas, acho difícil uma mulher que não tenha inseguranças.
Nossa personagem brinca com a maioria das inseguranças femininas, então mesmo rindo me auto analisava.
Foi uma experiência interessante.
Obrigada pela sugestão, amiga!

Um comentário:

May disse...

Adorei a resenha!
Deu vontade de ler!
Super Beijos,
May ;**

Postar um comentário

Comentários preconceituosos e desrespeitosos serão ignorados. Manifeste sua opinião com educação. =)