terça-feira, 28 de junho de 2011

Alta Sociedade - High Society - Sarah Mason

Alta Sociedade - High Society

  • Editora: Bertrand Brasil
  • Autor: SARAH MASON
  • ISBN: 8528612139
  • Ano: 2007
  • Edição: 1
  • Número de páginas: 322
  • Compre aqui:
  • *Cultura

Domingo, sentei-me super empolgada e escrevi essa resenha.
Como o blogger estava dando erro em anexar as capas, não postei e deixei reservada.
Quando fui tentar anexar hoje, não sei o que eu fiz que apaguei tudo.
Portando, estou refazendo a resenha.
Espero não deixar nada de fora!
Esse livro (que peguei com a ) traz a história de Clemmie, irmã mais velha da nossa atrapalhadíssima jornalista Holly de "Um amor de detetive", já resenhado aqui no blog.
Clemmie é tão trapalhada quanto a irmã, sorte a nossa.
Mesmo vivendo um momento triste em sua vida, não perde o bom humor.
Clemmie passou por uma grande decepção amorosa e perdeu o emprego no mesmo dia. Sem perceber o caráter duvidoso de seu namorado, deixou-se levar e o safado para não perder o emprego (eram colegas) expõe Clemmie, fazendo assim, que a sorte do desemprego deixe de cair a ele e caia sobre ela.
Desiludida e aturdida, a garota não pensa duas vezes.
Parte para uma turnê sem destino e sem planejamento pelo mundo.
Endividada, desempregada e solitária.
Acaba sendo obrigada a retornar ao seio da família Colchannon e a se submeter a um emprego de garçonete num café local.
As graças da família Colshannon, tão parecidas com tantas outras, nós já conhecíamos.
Os pais de Holly são bastante presentes em "Um amor de detetive" e inclusive fazem um papel importante na história.
Além, de voltar a conviver com a teatral mãe e com o doce pai, temos a oportunidade de conhecer o irmão sarado e surfista Barney e o seu melhor amigo e agregado Sam.
Sam ficou órfão muito cedo e como melhor amigo de Barney sempre esteve presente na família, é um agregado que sempre deu um ombro amigo a Clemmie e que sempre implicou com ela também.
Holly, que estava com saudades da irmã, resolve fazer uma visita a cidade dos pais, já com o propósito de arrastar Clemmie para passar uma semana com ela em Bristol.
Nossa jornalista Holly fez muito sucesso com o diário policial que acompanhamos no livro anterior, mas desde então não teve muito êxito. Seu chefe está cobrando atividade, ela precisa de uma história urgente.
Holly está bastante intrigada com o desaparecimento da colega de trabalho, filha de um importante advogado criminalista, metida a besta e solialite, Emma.
Emma pediu demissão por fax e não voltou para o jornal nem para buscar suas coisas pessoais.
Como uma jornalista fuxiqueira e vendo a oportunidade de uma boa história, Holly resolve investigar e arrasta Clemmie nessa aventura.
As garotas descobrem que Emma estava de casamento marcado para o próximo sábado e que o noivo está procurando ela desesperadamente.
Emma tentava conseguir a benção do pai para sua união. Seu noivo não era aceito já que é de origem humilde e possui em emprego de professor, sem grandes ganhos.
A suspeita é que o pai de Emma a mantivesse em cárcere com objetivo de impedir a cerimônia.
Após uma grande trapalhada, Clemmie e Holly acabam por descobrir fatos que não poderiam e se expõem ao risco, sendo perseguidas por um ex-presidiário psicopata.
Tentando resolver a confusão e ao mesmo tempo fugir do perigo, a família toda é obrigada a fazer uma jornada ao sul da França.
Sam, como um bom agregado, deixa sua namorada pernóstica Charlotte para trás e faz o trajeto com a família, tentando resolver a pendenga.
Impossível não dar boas risadas e se divertir com esse livro.
Apesar da fase crítica que Clemmie está vivendo, a garota não se deixa abater, mesmo porque, ela é muito distraída e ingênua para ficar matutando em depressão.
A relação de Clemmie e Sam é quente, se implicam a todo tempo e nossa garota custa a entender que está se apaixonando. 
Nesse livro, temos uma oportunidade de ver como está o relacionamento de Holly e James, um casal que é fofo e que eu já estava com muitas saudades.
O livro tem uma narrativa divertida, rápida, uma linguagem gostosa e simples. 
Cada página é uma aventura.
Ao mesmo tempo, se ilude quem pensa que descobriu os diversos desfechos.
Sarah Mason muda os percursos com uma velocidade alucinante, então nada é certo até a última página.
É humor e mistério na medida certa. 
Portanto, garantia de diversão!

Um comentário:

Marina disse...

tenho tantos chick lits pra ler!! hahaha... mas esse definitivamente está perto do topo da lista... todo mundo fala bem!

Postar um comentário

Comentários preconceituosos e desrespeitosos serão ignorados. Manifeste sua opinião com educação. =)