domingo, 19 de dezembro de 2010

Comer, rezar e amar

Comer, rezar e amar
Editora: Objetiva
Autor: ELIZABETH GILBERT
ISBN: 9788560544622
Ano: 2008
Edição: 1
Número de páginas: 342


Um dia estava de "bobeira" aqui em casa e resolvi assistir ao filme "Comer, rezar e amar".
Já tinha ouvido falar muito do livro e tenho uma amiga que ficou meses lendo e curtindo a história, página a página.
Enfim, achei o filme "fraquinho", a história era meio vaga, não consegui me identificar muito com a mocinha.
Considerando que o filme era uma adaptação do livro, resolvi ler o livro para ver se eu estava ficando muito lerda ou se a autora tinha sido propositalmente superficial em narrar a história.
Assim começa  minha jornada e ressaca literária.
Se, por acaso, você for um dos fãs dessa história de auto ajuda, favor não continuar a ler essa resenha.
Vamos ao que interessa...
Liz, que é a autora do livro (sim é autobiográfico), é uma mulher de 31 anos, casada há oito, recém proprietária de um lindo apartamento em NY.
Seu marido sonha em ter filhos que selem esse amor intenso que ele sente por ela.
Acontece, que para Liz as coisas não fluem dessa mesma forma, ela quer viajar, conhecer o mundo e se deslumbrar com paraísos e culturas exóticas. Filhos não são parte de seus planos.
Sendo assim, rompe o casamento e imediatamente engrena em um romance com um ator, que trabalha numa adaptação de um de seus textos.
Liz é uma mulher ansiosa, meio perdida e não sabe o que quer.
Na tentativa de se achar no mundo, abandona o atual namorado, o emprego, a cidade, tudo.
Literalmente, foge para a Itália para descobrir novos sabores e uma nova língua. 
Passa meses na Itália, come de tudo que imaginas (engorda 11 quilos), aprende italiano, faz bons amigos e parte novamente, dessa vez para Índia.
Na Índia, ela aprende a meditar e buscar a paz interior (já falei que ela é bem depressiva? não precisa, né?), conhece um cawboy de Texas que te ensina o caminho da meditação.
Por fim, ela termina sua aventura em Bali, lugar exótico, com pessoas exóticas, onde ela reencontra o amor em Felipe, brasileiro, 52 anos, divorciado.
O que posso dizer??
Bem, a autora é bastante depressiva e angustiada. 
Percebe-se, claramente, que ela tenta preservar seus amores sendo vaga sobre as razões de separação e rompimento.
A narrativa é fácil, tranqüila, simples. A revisão é ótima, a capa do livro é linda.
Só que senti um toque de auto ajuda, infelizmente, ou felizmente, não gosto de auto ajuda. Respeito quem goste, mas me angustia que alguém tenha a fórmula da felicidade e da paz interior. 
Não serve para mim.
No filme, vocês encontraram exatamente o que temos no livro, com o tempero da paisagem lindíssima e da interpretação meio sem graça da Julia Roberts. 
O brasileiro falsificado (Javier Bardem), do filme me decepcionou bastant. Além do sotaque fajuto ele não me lembra em nada a descrição feita no livro. (achei ele feio, pronto falei! ahaha)
Agradeço a minha amiga Mag pelo empréstimo e pela sugestão de leitura, toda leitura é válida e destaco uma frase do livro que provar isso:

No final das contas, porém, talvez todos devamos parar de tentar retribuir às pessoas deste mundo que apóiam nossas vidas. No final das contas, talvez seja mais sábio se render à milagrosa abrangência da generosidade humana e simplesmente continuar dizendo obrigada, para sempre e com sinceridade, enquanto tivermos voz.

Foi o livro que demorei mais para terminar esse ano, necessito de algo que me tire dessa "maré". Alguma sugestão?

Ficha técnica do filme:
Comer, rezar e amar (Eat Pray Love)
Lançamento: 2010 (EUA)
Direção:Ryan Murphy
Elenco: Julia Roberts, James Franco, Billy Crudup, Viola Davis.
Duração: 133 min
Gênero: Drama



4 comentários:

Karlinha disse...

Nossa, então:
Quanto ao filme: Eu amei esse filme, só acho "tosco" colocarem um brasileiro sendo que o ator é um espanhol...abafa.


Quanto ao livro:
Ainda não li mas não vejo a hora de poder lê-lo claro.

Adorei o post, como sempre você arrebenta heim?
Bjokas

www.coffieandmovies.com.br

Karlinha

Mag disse...

ahhh, eu amei o livro, amei o filme.... sim, tbm não gostei do ator que fez o felipe... se o personagem eh brasileiro, me coloquem uma ator brasileiro e não um mexicano.....
E no livro, Felipe eh encantador, o que já não acho nadinha no filme =/
beijos
Mag

Babi Lorentz disse...

Acredita que esse foi um dos livros que eu mais gostei de ler este ano? Gostei tanto que mal posso esperar para ler Comprometida, que é a continuação da história dela com o Felipe :D

Leituras Fantásticas disse...

Hum... eu li o livro e adorei! Curto todos os gêneros literários. Acho que cada uma deles tem algo diferente e inovador. Não ligo se as pessoas não curtem o mesmo gênero que eu, acho isso legal. Dá para compartilhar opiniões. :D Em relação ao filme, bem, realmente me decepcionou. Eu que tinha lido o livro não estava entendendo muito coisa! Imagine quem não leu. Mas mesmo assim, concordo com você: toda leitura é válida. E todo filme que fica meio sem noção se relacionado ao livro também!

Postar um comentário

Comentários preconceituosos e desrespeitosos serão ignorados. Manifeste sua opinião com educação. =)